Melpoejo Cultural: Dudu Lima Trio te convida para Live com participações especiais

Fotos: Kempton Vianna e Nelson Araujo

Dudu Lima Trio, um dos mais respeitados grupos instrumentais em atividade no País, com sua sonoridade inovadora, liderado pelo virtuose contrabaixista, arranjador e compositor mineiro Dudu Lima, ao lado de Ricardo Itaborahy (teclados e vocais) e Leandro Scio (bateria), estarão juntos no próximo domingo, 26/07/2020 às 17h para fazer sua primeira Live, levando sua música e através dela muita energia positiva e as melhores vibrações para todas as pessoas.

A Live será transmitida ao vivo no canal do grupo no YouTube :

https:// https://m.youtube.com/c/dudulimatrio/, com o Patrocínio Melpoejo Cultural através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.

No repertório, músicas autorais registradas em seu mais recente trabalho, o DVD “Dudu Lima Trio – Som de Minas ao vivo em Ibitipoca”, gravado no paraíso ecológico da Serra de Ibitipoca em Minas Gerais e lançado em 2019 pela Sony Music, além de releituras com sua sonoridade inovadora que encanta as platéias por onde passa de norte a sul do país e no exterior, para grandes clássicos do Jazz , da Música Popular Brasileira e Universal, que foram gravadas em seus álbuns lançados (11 CDs, 7 DVDs, e um VINIL exclusivo para colecionadores).

A Live terá a Participação especial de Emmerson Nogueira, trazendo suas interpretações marcantes e maravilhosas para grandes compositores e Caetano Brasil, virtuoso instrumentista convidado, sempre presente nos trabalhos do Trio, trazendo toda a sua criatividade e talento para o público.

O Dudu Lima Trio, espera todos para juntos dividir a experiência dessa conexão através do Som, sua forma de viajar para locais maravilhosos e mágicos. Venham conosco e apertem os cintos!!!

Reconhecimento Mundial

Com reconhecimento de crítica e cada vez mais alcance de público, Dudu Lima tem recebido críticas arrebatadoras e elogios em declarações a imprensa de grandes nomes da música brasileira e internacional como:

Stanley Jordan, que após vender milhões de discos nos anos 80com o álbum “Magic Touch”, em suas várias turnês pelo mundo, conheceu no Brasil o virtuose instrumentista mineiro, sobre quem declarou:

“Ele está entre os melhores contrabaixistas do mundo. Tenho certeza que vai ter admiradores por toda a vida. E não apenas no Brasil, mas pessoas do mundo inteiro vão querer sua música sem sombra de dúvidas.”

Milton Nascimento: “Quase caí duro quando o vi tocando contrabaixo.”

Encontro de duas gerações da música brasileira, registrado no álbum “Milton Nascimento e Dudu Lima Trio – Tamarear” lançado pela Som Livre em 2015, com turnê nacional nos palcos do Projeto TAMAR de proteção as tartarugas marinhas .

João Bosco: “O Dudu é um excelente artista, um músico de altíssimo nível. Sempre que o Dudu Lima Trio me convida é um show bem interessante, exploramos caminhos musicais especiais”.

Leonardo Alcântara – Crítico musical / JazzMan

“Dudu Lima é um dos nomes mais importantes da atual cena instrumental brasileira. Minas Gerais, que sempre revelou personalidades ilustres, como Santos Dumont, Carlos Drummond de Andrade e Pelé, que encantaram o mundo exibindo criatividade e genialidade, hoje pode se orgulhar de Dudu Lima, um mineiro de “mão cheia”, que faz da sua arte, sua história. Ou seria o contrário?”

Erasmo de Roterdam – Crítico da MPBJazz

“Dudu Lima, baixista de primeira, quando abraça o baixo acústico percebe-se à distância que se trata de uma relação amorosa. Em todas as vezes que o vi, percebi um instrumentista possuído pela música; melhor dizendo, um músico que mostra, em cena, todo o romance que existe entre ele e a música.  Amor sem pudores e correspondido”

Em seus álbuns e turnês pelo país e exterior, Dudu Lima contou com as participações especiais de grandes nomes da música brasileira e internacional, como:

Milton Nascimento, João Bosco, Wagner Tiso, Toninho Horta, Emmerson Nogueira, Hermeto Pascoal, Jean Pierre Zanella (Canadá) e Stanley Jordan (USA)

Discografia

  • 2000 – “Regina” (CD)
  • 2003 – “Nossa História” (CD)
  • 2007 – “Dudu Lima – 20 Anos de Pura Música” (CD e DVD)
  • 2009 – “Dudu Lima – Ouro de Minas” (CD e DVD)
    2010 – “Dudu Lima – Cordas Mineiras” (CD e DVD)
  • 2012 – “Dudu Lima Trio – Ao Vivo no Cine Theatro Central” (CD, DVD, Vinial LP)
  • 2013 – “Dudu Lima Trio – Clássicos” – CD
  • 2014 – “Dudu Lima – Ouro de Minas 2 – Gran Circo” (CD e DVD)
  • 2015 – “Milton Nascimento e Dudu Lima Trio – Tamarear” (CD)
  • 2016 -“Dudu Lima – Clássicos” (DVD)
  • 2017 -“Dudu Lima – Sons de Minas” (CD)
  • 2018 – “Dudu Lima – 30 Anos de Pura Música (CD)
  • 2019 – “Dudu Lima Trio – Som de Minas ao vivo em Ibitipoca (DVD)

Conheça as redes sociais dos artistas:

Dudu Lima Trio

Facebook https://facebook.com/dudulimatriooficial/

Instagram https://www.instagram.com/dudulimatrio/

YouTube https:// https://m.youtube.com/c/dudulimatrio/

Caetano Brasil

Facebook: https://www.facebook.com/caetanobrasiloficial/

Instagram: https://www.instagram.com/caetanobrasil
Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCRvRxqLwoT2npAKwpqxZvMQ

Emmerson Nogueira

Instagram: https://www.instagram.com/emmerson_nogueira/

Youtube: https://www.youtube.com/emmersonnogueiraoficial

Como Falar Sobre o Coronavírus Com as Crianças – Conheça 8 Sugestões da UNICEF

Uma das principais perguntas dos pais nesse momento é: como falar com as crianças sobre o Coronavírus? Leia esse artigo e conheça 8 dicas que vão facilitar essa conversa.

Diariamente, convivemos com novas informações sobre o Coronavírus a todo momento. O “novo normal” exige que as nossas rotinas mudem e saber como falar com as crianças sobre o Coronavírus é essencial.

Afinal, essa nova realidade é tão impactante para nós quanto para os pequenos.

Elas precisaram se afastar da escola, dos amiguinhos e muitos agora tem os papais e mamães em casa a todo momento.

Mas ter uma conversa aberta e solidária com suas crianças pode ajudá-las a entender, lidar e até dar uma contribuição positiva para os outros.

Por isso, separamos 8 dicas do Fundo das Nações Unidas sobre como falar sobre o Coronavírus com as crianças

Como Falar Sobre o Coronavírus Com as Crianças – Conheça 8 Sugestões da UNICEF

1. Converse com a criança

Inicialmente, convide o pequeno a falar sobre o assunto e descubra até que ponto ele tem conhecimento sobre o tema.

A partir disso você pode dar continuação a conversa e explicar melhor sobre o novo vírus.

Aproveite a oportunidade para lembrá-lo sobre boas práticas de higiene, mas sem introduzir novos medos.

Além disso, permita que ele fale livremente. Atividades lúdicas como desenhos e histórias podem ajudar a ter uma conversa mais dinâmica com a criança.

Mas o mais importante, é reconhecer os sentimentos da criança e lhe assegurar que está ouvindo. Demonstra que ela pode conversar com você e com os responsáveis mais próximos sempre que quiser.

2. Seja honesto(a)

Se há dúvidas de como falar sobre o Coronavírus com as crianças já podemos dizer que a honestidade e a sensibilidade são essenciais.

Busque uma linguagem apropriada para a idade, atente-se as reações da criança e seja sensível.

Além disso, se houver uma pergunta que você não saiba responder, não invente. Utilize essa oportunidade para aprenderem juntos.

Sites de organizações internacionais como o UNICEF e a Organização Mundial da Saúde são ótimas fontes de informação.

3. Mostre à criança como proteger ela mesma e seus amigos

Uma das melhores maneiras de ensinar as crianças a combaterem o Coronavírus e outras doenças é simplesmente incentivar a lavagem regular das mãos.

Por isso, ensine-a como lavar as mãos com uma musiquinha ou com uma historinha. Esse momento pode ser de muita aprendizagem e diversão!

Você também pode mostrar às crianças como cobrir o nariz e a boca com o cotovelo flexionado ao tossir ou espirrar, explicar que o momento requer que fiquemos em casa e o melhor é evitar ficar perto das pessoas que estejam “dodóis”.

Com isso, você pode incentivá-la a dizer caso sinta algum mal-estar, como dores no corpo, febre, e se estiverem com tosse ou dificuldade em respirar.

4. Ofereça segurança

Quando possível, tire um tempinho para brincar com a criança ou planejar atividades para que ela possa se distrair e relaxar.

Mantenha rotinas e agendas regulares o máximo possível, principalmente antes da hora de dormir, ou ajude a criar novas rotinas em um novo ambiente.

Se sua criança ficar doente, explique que ela deve ficar em casa (ou no hospital, se for o caso), porque é mais seguro tanto para ela quanto para seus amigos.

Ofereça a ela tranquilidade e apoio, mostrando que apesar de ser um momento difícil você está ao lado dela para manter a segurança de todos.

5. Verifique se elas estão sendo estigmatizadas ou espalhando estigmas

O surto de Coronavírus trouxe numerosos relatos de discriminação racial em todo o mundo. Por isso, é importante verificar se suas crianças não estão enfrentando nem contribuindo para o bullying.

Portanto, aproveite a conversa a cerca do tema com seu filho ou filha e explique que o novo vírus não tem relação com a aparência de alguém, sua origem ou o idioma que fala.

Lembre a sua criança de que todos merecem empatia e que o bullying é sempre uma atitude errada.

6. Procure quem pode ajudar

Ao falar sobre o Coronavírus com as crianças é importante reforçar ações de outras pessoas que buscam ajudar às outras com atos de bondade e generosidade.

Assim, compartilhe histórias de profissionais da saúde, cientistas e jovens, entre outros, que estão trabalhando para manter a comunidade segura.

7. Cuide de você

As crianças comumente tomam seus pais como exemplo. Elas assimilarão a sua resposta às notícias, o que as ajudará a saber que você está calmo(a) e no controle.

Nesse contexto, se você estiver se sentindo ansioso(a) ou chateado(a), reserve um tempo para si mesmo(a) e procure apoio de outras famílias, amigos e pessoas de sua confiança .

8. Encerre as conversas com cuidado

À medida que a conversa termina, tente avaliar o nível de ansiedade observando a linguagem corporal, considerando se elas estão usando o tom de voz habitual e prestando atenção à sua respiração.

Lembre-as de que você se importa e está disponível sempre que elas se sentirem preocupadas e quiserem conversar.

 

Apesar de as crianças estarem fora dos grupos de risco, elas não estão imunes ao ambiente e a sensação transmitida pelos pais.

Por isso, esteja sempre disposto a conversar e ouvir os sentimentos do seu pequeno. A conversa é essencial durante toda a infância para que você consiga apoiá-lo com muito amor e cuidado!

Por fim, o que você acha de compartilhar esse artigo para outras mamães e papais aprenderem como falar com as crianças sobre o Coronavírus?

Compartilhe em suas redes sociais e fique atento aos próximos artigos do blog do Melpoejo!

Fonte: UNICEF

Vacina da gripe para crianças: entenda sua importância

Embora bastante recomendada, a vacina da gripe para crianças não é obrigatória no calendário de vacinas brasileiro. No entanto, ela é essencial especialmente para quem faz parte do grupo de risco, que inclui as crianças com idade entre 6 meses e 5 anos.

Como vimos recentemente, as crianças foram um dos públicos alvos da campanha de vacinação contra a gripe. Isso porque a vacina da gripe para as crianças é fundamental para proteção contra o vírus Influenza.

Como seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento, e não consegue oferecer uma ação rápida contra o invasor, os pequenos são muito afetados.

Dessa forma, caso o Influenza atinja uma criança, existe uma chance maior do quadro se agravar e evoluir para uma pneumonia ou em outro caso mais grave.

Nesse texto, reunimos as principais dúvidas a cerca da gripe em crianças e como a vacina é essencial para prevenção dos pequenos.

O que é a gripe?

A gripe é uma infecção dos pulmões e vias aéreas transmitida pelas gotículas de saliva na tosse ou no espirro de uma pessoa que está infectada.

Ou seja, os vírus presentes nas gotículas são liberados pelo nosso corpo quando tossimos, espirramos, falamos, etc.

Além disso, o período de contágio da gripe pode começar até dois dias antes dos sintomas ficarem aparentes.

Por isso, muitas vezes o contato com o vírus é inevitável, já que mesmo a pessoa doente pode não saber que está infectada, pois não apresentou os sintomas ainda.

Principais Sintomas

Os sintomas surgem de forma súbita e podem indicar o início da gripe, como indisposição, dor de cabeça, calafrios, dor de garganta e coriza excessiva.

A doença pode evoluir para sintomas como:

  • Febre;
  • Dor no corpo;
  • Tosse seca;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Rouquidão;
  • Olhos avermelhados e lacrimejantes.

A febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias.

Apesar de os outros sintomas aliviarem com a progressão da doença, os sintomas respiratórios aumentam e mantêm-se de três a cinco dias após o fim da febre.

Gripe ou Resfriado

Apesar dos sintomas do resfriado serem parecidos com os da gripe, eles são mais brandos e, geralmente, tem uma duração menor – entre dois e quatro dias.

Nesse caso, a febre é menos comum e, quando presente, ocorre em temperaturas baixas.

Vacina da Gripe para Crianças

Ao longo da vida, nosso sistema imunológico vai adquirindo a capacidade de combater os vírus com que entramos em contato, evitando que eles se instalem em nosso organismo.

As crianças têm mais gripes e resfriados porque seu sistema imunológico está em formação: ele ainda não possui tantas ferramentas para defender-se contra vírus.

Pelo mesmo motivo, as crianças tendem a ter mais complicações causadas pela gripe.

Com o intuito de prevenir a doença nos grupos de risco, Ministério da Saúde promove a imunização contra a gripe para toda a população, com prioridade para as seguintes pessoas:

  • Pessoas com mais de 60 anos;
  • Doentes Crônicos;
  • Gestante;
  • Mães no pós-parto;
  • Crianças de 6 meses a menores de 5 anos;
  • Portadores de condições especiais;
  • Professores;
  • Profissionais da Saúde.

Por isso é tão importante aplicar a vacina da gripe em crianças entre 6 meses e 5 anos. Ela é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença e suas complicações.

Prevenção da gripe em crianças

Como o vírus se modifica anualmente e as crianças são um grupo de risco, a vacina deve ser reforçada todos os anos.

Além da vacina, alguns tipos de alimentos na dieta podem ajudar a reforçar o sistema contra o vírus.

A combinação de alimentos nutritivos tem o poder de deixar uma pessoa saudável e com uma imunidade forte.

Durante a gripe é importante aumentar a ingestão de calorias e líquidos. Pois, o corpo aumenta o metabolismo para compensar o desgaste no combate contra a doença.

É comum perdermos o apetite quando estamos gripados e não querermos ingerirmos nada.

Por isso, os melhores alimentos são chás, sopas, frutas e legumes crus ou cozidos que reforçam o sistema e são práticos de serem consumidos.

Além disso, algumas dicas podem ajudar a evitar o contágio da gripe:

  • Lave sempre as mãos;
  • Dê preferência a lenços descartáveis e sempre descarte após o uso;
  • Mantenha o ambiente ventilado;
  • Tente tapar a boca no seu ombro ao tossir e espirrar;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal, como copos e talheres;
  • Evite o contato (abraços, beijos, aperto de mão) com a pessoa doente;
  • Fique longe de aglomerações em épocas de muito frio e oscilações de temperatura.

É possível que, mesmo depois de todo o tratamento e prevenção, a gripe volte a atacar.

Por isso, é importante trabalhar com o pequenino as medidas de prevenção e acompanhar as datas da Campanha de Vacinação contra a Gripe anualmente.

blog melpoejo

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

Desenvolvimento do bebê mês a mês: veja os marcos mais importantes

Cada fase do desenvolvimento do bebê é uma emoção diferente para os papais e mamães. Conheça os marcos mais importantes no primeiro ano de vida deles!

Os nove meses de gravidez são apenas o início de uma longa aventura.  Com o desenvolvimento do bebê mês a mês, as mamães devem estar preparadas para novas experiências a todo momento.

Ao longo dos primeiros meses de vida, as habilidades e o desenvolvimento cognitivo das crianças evoluem quase que diariamente

Apesar de parecer um longo período de tempo, diversos papais e mamães reclamam de quão rápido é o crescimento dos pequenos e, em um piscar de olhos, você pode perder várias fases divertidas e emocionantes.

A fim de te ajudar, vamos organizar neste texto os marcos de desenvolvimento do bebê até completar o seu primeiro ano de vida.

Acompanhe com a gente!

O que são os marcos de desenvolvimento infantil?

Os marcos do desenvolvimento infantil são uma série de parâmetros que indicam como está o desenvolvimento dos pequenos.

Mas, já vale dizermos, eles são apenas referências para você observar a evolução do seu pequeno e estimular o próximo passo através de alguns exercícios. 

Só para exemplificar, se o seu bebê já consegue sustentar a cabeça, o próximo passo pode ser aprender a sentar. Assim, você pode realizar atividades que desenvolvam essa habilidade.

Lembre-se: cada criança é única e tem seu próprio ritmo de crescimento e desenvolvimento.

Entretanto, o acompanhamento dos marcos de desenvolvimento do bebê é fundamental para identificarmos possíveis atrasos no desenvolvimento e contar com o apoio do seu pediatra para mais informações sobre o assunto.

Desenvolvimento do Bebê – Conheça os marcos mais importantes no primeiro ano de vida

A princípio, os marcos do desenvolvimento do bebê nos permitem ter uma noção das habilidades que eles irão conquistar ao longo dos primeiros anos de vida em todos os aspectos: social, emocional, linguístico, cognitivo e físico.

Vamos juntos conhecer os marcos de desenvolvimento mais importantes conforme os meses em que costumam ser conquistadas.

0 a 2 meses 

Após nove meses dentro do conforto e quietude do útero materno, o bebé nasce para um mundo repleto de estímulos sensoriais.

É neste momento em que eles demonstram as primeiras percepções do seu ambiente.

Dessa forma, ao fim do primeiro mês o seu bebé deverá, entre outras habilidades:

  • seu bebê já reage a sons mais altos;
  • começa a sorrir para as pessoas;
  • produz sons borbulhantes;
  • acompanha um objeto em movimento;
  • leva as mãos à boca.

3 a 4 meses

Nos meses que se seguem seu pequeno estará evoluindo principalmente em relação a firmeza do corpinho.

O principal marco dessa fase do desenvolvimento do bebê é sustentar a sua cabeça de forma mais firme.

Além disso, outros marcos fofos e importantes são:

  • seu pequeno mexe os olhos para qualquer direção;
  • sorri espontaneamente para as pessoas;
  • alcança brinquedos com as mãos;
  • empurra as perninhas para baixo ao colocarmos seus pés em uma superfície rígida;
  • reproduz sons com a boca.

5 a 6 meses

Seguindo o exemplo que citamos anteriormente, após o bebê conseguir sustentar sua cabecinha sem ajuda, as mamães e papais podem começar a estimular a habilidade de sentar sem apoio.

Outro marco desses meses é o reconhecimento de familiares e pessoas próximas, tanto quanto quem lhe é estranho.

Essa é a fase em que todas as pessoas próximas ao seu bebê vão amar ouvir o som da sua gargalhada e até dos seus gritinhos.

Além de encher o ambiente com suas deliciosas risadas, os bebês entre 5 e 6 meses de vida serão capazes de:

  • seu pequeno rola em duas direções;
  • responde aos sons emitindo sons;
  • tenta pegar objetos ao seu alcance;
  • começa a se sentar sem apoio;
  • ri e grita.

7 a 9 meses

Essa é a fase mais especial para as mamães e papais, pois é aqui que o bebê começa a balbuciar as primeiras palavras.

Enquanto isso, o bebê será mais apegado a família e adoram rir com as outras crianças. Nesse contexto, eles começam a desenvolver um certo temor a pessoas estranhas a sua rotina. 

Além disso ele também será capaz:

  • é muito grudado aos familiares;
  • entende o “não”;
  • balbucia palavras como “mama” e “papa”;
  • pega objetos fazendo o movimento de pinça com os dedos;
  • senta-se sem suporte.

10 aos 12 meses

Chegando no seu primeiro aninho de vida o desenvolvimento do bebê leva a uma fase muito emocional para os pais.

Afinal, em sua maioria, durante esses meses o bebê começará se apoiar em móveis para ficar em pé e dará os seus primeiros passinhos sem apoio.

Do mesmo modo, nessa frase o bebê já sente a ausência das pessoas mais queridas e demonstra isso a partir do choro. Ou seja, as mamães e papais vão precisar de muita força para sair de casa sem seus pequenos.

Mas podem ficar tranquilos, com o tempo os pequenos acabam se adaptando a rotina dos seus pais.

Além disso, ele será capaz de fazer outras habilidades como:

  • tem coisas e pessoas favoritas;
  • responde a comandos simples de voz;
  • tenta reproduzir as palavras que ouve;
  • copia gestos.

 

Acompanhar os marcos do desenvolvimento infantil proporciona ao seu filho um crescimento mais saudável, ajudando-o a desenvolver suas habilidades.

Nesse sentido, dá a você uma ideia de como está sendo o progresso dele e como apoiá-lo com muito amor e cuidado!

Por fim, o que você acha de compartilhar esse artigo para outras mamães e papais aprenderem sobre o desenvolvimento do bebê e os marcos mais importantes?

Compartilhe em suas redes sociais e fique atento aos próximos artigos do blog do Melpoejo!

Quanto tempo esperar pelo arroto do bebê? Entenda a sua importância!

Muitas mamães e papais ainda não sabem quanto tempo esperar pelo arroto do bebê e qual a importância desse gesto. Confira neste artigo!

Os recém nascidos nos trazem diversos ensinamentos, inclusive sobre assuntos bem específicos, como por quanto tempo esperar pelo arroto do bebê.

Fazer os pequenos arrotar é muito importante, e em alguns casos, um gesto imprescindível.

Quando os recém nascidos mamam e choram, eles engolem ar que pode gerar bastante desconforto para os nenéns.

Se esse ar não for expelido por meio dos arrotos, ele fica na barriguinha do bebê e gerar gases e as temidas cólicas.

Por isso, neste texto vamos explicar:

  • Por que os bebês arrotam depois de mamar?
  • A importância do arroto para os bebês
  • Quanto tempo esperar pelo arroto do bebê?
  • Como fazer o bebê arrotar?
  • Refluxo em bebês

Acompanhe com a gente!

Por que os bebês arrotam depois de mamar?

Como dito na introdução do texto, ao se alimentarem, os bebês acabam ingerindo ar junto com o leite. O resultado: ar acumulado na barriguinha do pequeno.

Dessa forma surgem os arrotos dos pequeninos. Para expelir o ar, o corpo do bebê provoca o arroto, que muitas vezes vem acompanhado de pequenas quantidades de leite.

Geralmente, as regurgitações junto ao arroto ocorrem graças à imaturidade do sistema digestivo dos pequenos.

Assim, ao arrotar a criança retorna o leite ainda presente no seu esôfago.

Portanto, não se assuste, e principalmente não se irrite, ao detectar a presença do líquido nesse momento.

A importância do arroto para os bebês

Caso o ar ingerido fique acumulado no estômago do bebê, ele pode se transformar em gases.

Além disso, ele também pode provocar cólicas, principal causa de incômodos e choro dos pequenos.

Outro ponto de atenção é sobre o arroto do bebê antes de dormir. Caso ele durma antes de ter expelido o ar, é possível que ele arrote durante o soninho.

Ou seja, devido à sua posição no berço,  ele pode regurgitar e acabar ficando asfixiado por causa do refluxo.

Quanto tempo esperar pelo arroto do bebê?

De acordo com o pediatra Paulo Borchert, vai depender da quantidade de ar que o bebê engole durante as mamadas.

Da mesma forma, vale dizer, não é em toda mamada que o bebê vai arrotar, depende da quantidade de ar ingerido.

Como fazer o bebê arrotar?

Inicialmente, a melhor posição para fazer o bebê arrotar é segurá-lo na vertical com a barriguinha aconchegada ao seu corpo.

Além disso, deixe a cabecinha do bebê em pé, na posição ereta.

Em seguida dê alguns tapinhas bem suaves nas costas do pequenino para facilitar que ele arrote.

Refluxo em bebês

O refluxo é identificado pelo retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e outras áreas como a boca, por exemplo.

Em geral, o refluxo em bebê manifesta-se através das golfadas após as mamadas e não causa maiores problemas à criança.

No entanto, se o refluxo for exagerado e tiver relacionado a um quadro patológico, pode vir acompanhado dos seguintes sintomas:

  • Irritabilidade;
  • Golfadas em excesso;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade ou recusa para mamar;
  • Tosse seca;
  • Engasgo;
  • Choro frequente.

Assim, ao perceber algum desses sintomas no bebê, não hesite em procurar um pediatra para realizar o diagnóstico correto.

Em sua maioria, o refluxo nos pequenos vai diminuindo progressivamente, a medida que o sistema digestivo do bebê evolui.

Apesar de demorar alguns meses, é sempre importante lembrar que cada passo é um marco do crescimento do seu eterno bebê.

Lembre-se de aproveitar cada momento, pois eles crescem mais rápido do que gostaríamos!

Por fim, o que você acha de compartilhar esse artigo para outras mamães e papais aprenderem qual a importância e por quanto tempo esperar pelo arroto do bebê?