Alimentos que causam cólica no bebê: 6 tipos para se evitar

Até os 5 meses de idade, as cólicas são problemas do cotidiano do bebê. Então, pensamos numa lista de alimentos que causam cólica no bebê e assim poder evitá-los. 

O motivo exato por trás dessa ocorrência das dores ainda é desconhecido. No entanto, alguns especialistas alegam que alguns alimentos contribuem para a piora das cólica. 

Seja qual for a razão desse desconforto, é importante levar em consideração o que os médicos dizem. Neste artigo, especificamente, vamos abordar justamente essa questão dos alimentos, apresentando os possíveis fatores que podem colaborar com o problema. Continue a leitura e confira!

Lista de alimentos que causam cólica no bebê

1. Leite

ATENÇÃO: não estamos falando do leite materno! 

O leite a que nos referimos aqui é o de vaca, que contém uma proteína totalmente diferentes do leite de vocês mamães e que pode ocasionar uma reação adversa no organismo dos pequenos e pequenas.

A formação de gases e o aumento dos movimentos do intestino são alguns dos exemplos desses efeitos colaterais que, por sua vez, acabam resultando nas cólicas.

Os nutrientes e as substâncias absorvidas pela mãe podem ser passadas ao bebê durante o aleitamento materno.

Por informação, saiba que o Ministério da Saúde recomenda a amamentação como fonte de alimentação exclusiva dos bebês até os seis meses de idade. O leite de fórmula só deve ser dado em casos específicos, sempre com a orientação médica.

2. Chocolate

Para a tristeza de muitas pessoas, os chocolates também podem contribuir para as cólicas no bebê. A razão disso é relacionada às proteínas do leite, já que este é um dos ingredientes para a fabricação de muitos tipos de chocolate.

A cafeína, presente em pequenas quantidades nos grãos de cacau, é outra substância que pode ter uma ligação com o desconforto. Assim, controle o consumo dessa guloseima, pelo menos enquanto estiver amamentando, tudo bem?

3. Leguminosas

Lentilhas, ervilhas, soja, feijões e outras leguminosas são alimentos que possuem determinados tipos de carboidratos os quais o organismo tem dificuldade de absorver, o que pode ocasionar uma fermentação no intestino.

Se a flora intestinal da mamãe estiver meio fragilizada, essa fermentação tende a ser ainda maior, podendo passar para a criança por meio da amamentação. Em razão disso, o ideal é que você reduza o consumo desses alimentos, especialmente se eles lhe causam algum mal-estar estomacal, por mais leve que seja.

4. Vegetais crucíferos

Apesar de serem recomendados como parte de uma alimentação saudável, os vegetais crucíferos, como o brócolis, a couve e o repolho, podem passar suas características para o leite materno.

O enxofre presente nesses alimentos resulta no aumento dos gases, tanto na mãe quanto no bebê, que recebe essa substância durante o aleitamento, favorecendo as cólicas.

5. Carnes vermelhas

Por passarem por um processo de digestão mais prolongado, as carnes vermelhas também fazem parte dos alimentos que causam cólicas no bebê. Aqui, ocorre praticamente o mesmo problema das leguminosas: a fermentação no intestino.

Entretanto, vale ressaltar que não há evidência científica ou documentada que comprove essa hipótese. Os especialistas recomendam, apenas, o bom-senso por parte das mães.

De uma forma geral, preste atenção nos alimentos que causam o seu desconforto para, então, reduzir ou até mesmo evitar o consumo deles. É preciso entender que a sua alimentação interfere na qualidade do leite materno. Por isso, não custa ter cuidado com o que você consome.

6. Café

A culpa aqui não é do café em si, mas sim da cafeína, como já mencionamos. Esse composto, na verdade, não causa as cólicas. O que acontece é que, por ser um estimulante, pode deixar a criança ainda mais agitada, dificultando o problema.

Além dessa lista de alimentos que causam cólica no bebê, temos um dica bônus! O uso do nosso medicamento: Funchicórea. Ele é um medicamento fitoterápico que irá te auxiliar, efetivamente, no tratamento das dispepsias intestinais e suas manifestações (cólica e prisão de ventre).

Para concluir, tenha em mente que as cólicas fazem parte do processo de desenvolvimento do sistema digestivo do bebê. Embora não seja agradável ver a criança com esses desconfortos, saiba que a saúde dela não está em risco.

Procure manter a calma, sempre, e lembre que tudo vai passar. Entretanto, não hesite em procurar ajuda médica caso o problema se mantenha após os seis meses.

Gostou do artigo? Fique de olho no blog do Melpoejo!