Alimentos que causam cólica no bebê: 6 tipos para se evitar

Até os 5 meses de idade, as cólicas são problemas do cotidiano do bebê. Então, pensamos numa lista de alimentos que causam cólica no bebê e assim poder evitá-los. 

O motivo exato por trás dessa ocorrência das dores ainda é desconhecido. No entanto, alguns especialistas alegam que alguns alimentos contribuem para a priora das cólica. 

Seja qual for a razão desse desconforto, é importante levar em consideração o que os médicos dizem. Neste artigo, especificamente, vamos abordar justamente essa questão dos alimentos, apresentando os possíveis fatores que podem colaborar com o problema. Continue a leitura e confira!

Lista de alimentos que causam cólica no bebê

1. Leite

ATENÇÃO: não estamos falando do leite materno! 

O leite a que nos referimos aqui é o de vaca, que contém uma proteína totalmente diferentes do leite de vocês mamães e que pode ocasionar uma reação adversa no organismo dos pequenos e pequenas.

A formação de gases e o aumento dos movimentos do intestino são alguns dos exemplos desses efeitos colaterais que, por sua vez, acabam resultando nas cólicas.

Os nutrientes e as substâncias absorvidas pela mãe podem ser passadas ao bebê durante o aleitamento materno.

Por informação, saiba que o Ministério da Saúde recomenda a amamentação como fonte de alimentação exclusiva dos bebês até os seis meses de idade. O leite de fórmula só deve ser dado em casos específicos, sempre com a orientação médica.

2. Chocolate

Para a tristeza de muitas pessoas, os chocolates também podem contribuir para as cólicas no bebê. A razão disso é relacionada às proteínas do leite, já que este é um dos ingredientes para a fabricação de muitos tipos de chocolate.

A cafeína, presente em pequenas quantidades nos grãos de cacau, é outra substância que pode ter uma ligação com o desconforto. Assim, controle o consumo dessa guloseima, pelo menos enquanto estiver amamentando, tudo bem?

3. Leguminosas

Lentilhas, ervilhas, soja, feijões e outras leguminosas são alimentos que possuem determinados tipos de carboidratos os quais o organismo tem dificuldade de absorver, o que pode ocasionar uma fermentação no intestino.

Se a flora intestinal da mamãe estiver meio fragilizada, essa fermentação tende a ser ainda maior, podendo passar para a criança por meio da amamentação. Em razão disso, o ideal é que você reduza o consumo desses alimentos, especialmente se eles lhe causam algum mal-estar estomacal, por mais leve que seja.

4. Vegetais crucíferos

Apesar de serem recomendados como parte de uma alimentação saudável, os vegetais crucíferos, como o brócolis, a couve e o repolho, podem passar suas características para o leite materno.

O enxofre presente nesses alimentos resulta no aumento dos gases, tanto na mãe quanto no bebê, que recebe essa substância durante o aleitamento, favorecendo as cólicas.

5. Carnes vermelhas

Por passarem por um processo de digestão mais prolongado, as carnes vermelhas também fazem parte dos alimentos que causam cólicas no bebê. Aqui, ocorre praticamente o mesmo problema das leguminosas: a fermentação no intestino.

Entretanto, vale ressaltar que não há evidência científica ou documentada que comprove essa hipótese. Os especialistas recomendam, apenas, o bom-senso por parte das mães.

De uma forma geral, preste atenção nos alimentos que causam o seu desconforto para, então, reduzir ou até mesmo evitar o consumo deles. É preciso entender que a sua alimentação interfere na qualidade do leite materno. Por isso, não custa ter cuidado com o que você consome.

6. Café

A culpa aqui não é do café em si, mas sim da cafeína, como já mencionamos. Esse composto, na verdade, não causa as cólicas. O que acontece é que, por ser um estimulante, pode deixar a criança ainda mais agitada, dificultando o problema.

Além da lista de alimentos que você deve evitar, temos um dica bônus! O uso do nosso medicamento: Funchicórea. Ele é um medicamento fitoterápico que irá te auxiliar, efetivamente, no tratamento das dispepsias intestinais
e suas manifestações (cólica e prisão de ventre).

Para concluir, tenha em mente que as cólicas fazem parte do processo de desenvolvimento do sistema digestivo do bebê. Embora não seja agradável ver a criança com esses desconfortos, saiba que a saúde dela não está em risco.

Procure manter a calma, sempre, e lembre que tudo vai passar. Entretanto, não hesite em procurar ajuda médica caso o problema se mantenha após os seis meses.

Gostou do artigo? Fique de olho no blog do Melpoejo!

 

Copa JF Vôlei Escolar realizada no sábado dia 25 de maio

No último 25 de maio de 2019, na Universidade Federal de Juiz de Fora – Campus Educação Física – FAEFID, o JF Vôlei (equipe que recebe apoio, através da Lei Estadual de Incentivo ao Esporte, do Laboratório Melpoejo) realizou a Copa JF Vôlei Escolar. Confira a cobertura fotográfica:

Créditos: Vinicius Serra

JF Vôlei promove competição escolar para meninos nascidos a partir de 2004

No dia 25 de maio, acontece na Faculdade de Educação Física e Desportos da UFJF, a partir de 9h, a primeira Copa JF Vôlei Escolar Masculina. A competição reunirá estudantes de escolas municipais, federais, estaduais e particulares, com garotos nascidos a partir de 2004. O torneio será disputado em quadra reduzida (14×7 metros), com quatro atletas titulares por time e terá o limite de 12 inscritos por equipe.

As inscrições para a Copa JF Vôlei já começaram e são totalmente gratuitas. Os interessados devem enviar um e-mail para asepelsports@gmail.com solicitando a inscrição da equipe, além de enviar a relação nominal completa com os comprovantes até a próxima sexta-feira (24) ou entregar no congresso técnico marcado para o mesmo dia, às 19h, na Faculdade de Educação Física e Desportos da UFJF.

Para o diretor técnico Maurício Bara, a intenção da competição para a categoria de base juiz-forana é de aproximar o JF Vôlei das escolas: “A importância é continuar nossa ideia e filosofia de aproximar o JF Vôlei das escolas, onde estão todos os garotos mais novos. Queremos tornar a copa, junto com o programa de visitação às escolas, uma tradição na cidade de Juiz de Fora.”

Maurício destaca a importância de dar oportunidade aos garotos da cidade e os objetivos da competição. “É uma oportunidade para muitos garotos que gostam de voleibol, mas que muitas vezes não puderam praticar em clubes. Então praticam em suas escolas, onde têm professores com trabalhos interessantes, e a gente quer conhecer cada vez mais os trabalhos e os alunos atletas. O objetivo principal é fomentar o voleibol e torná-lo um esporte cada vez mais popular.”

Não é obrigatório que a escola solicite a participação na Copa JF Vôlei Escolar 2019. Os alunos podem montar as suas equipes, desde que todos os inscritos estejam comprovadamente matriculados no mesmo colégio.

Como armazenar medicamentos da maneira correta?

Além de manter fora do alcance de crianças e animais, você sabe como armazenar medicamentos de maneira correta? Quando o assunto é remédio, todo cuidado é pouco! Então, até o hábito de manter uma caixinha de remédios em casa pode ser contestado. Afinal, os mesmos podem estragar antes do seu vencimento se não houver um armazenamento correto.

Abaixo, confira dicas sobre como devem ser mantidos os medicamentos:

1.Verificar sempre na bula do medicamento as condições de armazenamento. Pois é nela que estará especificado a temperatura, umidade, se em geladeira ou não

2. Mantenha os medicamentos em lugares secos e frescos, aproximadamente 25 graus celsius, seguros e específicos para este fim. Evite guardar os medicamentos com produtos de limpeza, perfumaria e alimentos.

3. Guarde na geladeira apenas os medicamentos líquidos, conforme orientação de um profissional de saúde. Não guarde medicamentos na porta da geladeira (já que a temperatura pode variar neste local) ou próximo do congelador.

4. Se utilizar porta comprimidos para guardar os medicamentos, deixe somente a quantidade suficiente para 48 horas. Os recipientes devem ser cuidadosamente mantidos limpos e secos. A embalagem original, na maioria das vezes, é a melhor opção.

5. O armazenamento de medicamentos em casa deve ser individualizado para evitar erros e trocas com medicamentos de outras pessoas.

6. Lave as mãos antes de manusear qualquer medicamento e os manuseie em lugares claros. Leia sempre os nomes para evitar trocas.

7. Abra somente um frasco ou embalagem de cada medicamento por vez.

8. Mantenha os medicamentos nas embalagens originais para facilitar sua identificação e o controle da validade.

9. É preciso observar, frequentemente, a data da validade dos remédios. Não consuma medicamentos vencidos e mantenha a receita médica junta a eles.

10. Consulte um farmacêutico caso observe qualquer mudança no medicamento: cor, mancha ou cheiro estranho.

11. Utilize preferencialmente o medidor que acompanha o medicamento. Evite o uso de colheres caseiras. Lave-o após o uso.

12. Não passe o bico do tubo do medicamento em feridas ou na pele quando for utilizar pomadas para não contaminar o medicamento.

13. Não encoste no olho ou na pele o bico dos frascos dos colírios e das pomadas para os olhos.

14. Guarde os medicamentos suspensos ou antigos em local separado, ou mesmo em prateleiras mais altas, dos medicamentos em uso. Para deixar fora de alcance das crianças e separar dos remédios de uso rotineiro ou que estão em validade.

Por fim. Todo cuidado é pouco. Afinal, os remédios são substâncias químicas que devem ser usadas de maneiras e situações adequadas. Respeite essas especificações, isso será bom para você, para a sua saúde e para o seu bolso.

Gostou do artigo? Fique de olho no blog do Melpoejo!

Laboratório Melpoejo apoia a produção artística regional

Acreditando no poder transformador da arte, o Laboratório Melpoejo consolida-se como empresa cidadã, em uma parceria de sucesso que já há alguns anos acompanha a trajetória artística de Dudu Lima, exercendo responsabilidade social através do patrocínio à arte e a cultura.

Um dos maiores grupos brasileiros de música instrumental, o DUDU LIMA TRIO liderado pelo virtuose instrumentista e compositor mineiro Dudu Lima (contrabaixos, arranjos e direção musical), ao lado de Ricardo Itaborahy (piano, teclados e vocais e Leandro Scio (bateria e percussão), leva o “Som de Minas”, produzido em Juiz de Fora,  a todo o Brasil e ao mundo.

A sonoridade inovadora do Dudu Lima Trio tem encantado as plateias por onde passa de norte a sul do país e do exterior apresentando além de suas composições autorais, releituras com nova roupagem em arranjos jazzísticos para grandes clássicos da música brasileira e internacional, registrados em seus 10 CDs, 6 DVDs lançados,  além de uma edição em Vinil LP exclusiva para colecionadores.

Apresentou-se em 2018 na Itália, Bélgica e República Tcheca e em 2019 segue para uma nova tour pela Europa e Ásia, apresentando o show “Dudu Lima Trio – Som de Minas ao vivo”.

Através do patrocínio cultural o Laboratório Melpoejo apoia expressões artísticas de qualidade e proporciona visibilidade da música instrumental mineira aos mais diversos palcos do mundo.

Alimentos que devem ser evitados durante a amamentação

Antes de falarmos sobre os alimentos que devem ser evitados durante a amamentação, devemos reforçar a importância e o poder do leite materno. Afinal, ele é rico em anticorpos e proteínas e que, o torna o alimento mais completo para o pequeno.

Mas, para que a criança seja alimentada com a quantidade certa de leite materno é importante que a mãe esteja muito bem alimentada. Pois, tudo que é ingerido pela genitora, no período da amamentação, é automaticamente passado para o bebê. Então, alguns alimentos podem ajudar ou não nesse processo.

Pensando nisso, elencamos os alimentos que devem ser evitados, e ou consumidos com bastante moderação, durante a amamentação do seu bebê. Confira a lista!

Alimentos que não devem ser consumidos

  • Bebidas alcoólicas

Talvez seja uma dica óbvia. Mas, é sempre bom afirmar: o álcool não é indicado para quem está amamentando. Além de diminuir a absorção dos nutrientes pela mãe, o álcool também será consumido pelo bebê, podendo deixá-lo mais sonolento, num primeiro momento, além de fazer com que ele fique sem fome, atrapalhando seu ganho de peso. As bebidas também podem destruir as células nervosas da criança.

Alimentos de consumo moderado durante a amamentação

Já nessa lista teremos os alimentos que devem sim ser evitados, mas com possível consumo pontual. Veja:

  • Cafeína

Bebidas que contenham cafeína como o café, chá preto ou mate, energéticos, refrigerantes e o até mesmo o chocolate devem ser consumidos em pequenas quantidades. Pois, a cafeína pode tornar os bebês mais irritados e com dificuldade para dormir. Tome, no máximo, duas xícaras de café por dia.

  • Industrializados

Você já parou para ler o rótulo dos alimentos industrializados vendidos no supermercado? Então, eles estão recheados de produtos químicos como conservantes, corantes e estabilizantes. Prefira, na medida do possível, alimentos frescos e naturais.

  • Alimentos que causam gases

Feijão, brócolis, couve-flor, repolho e batata doce, entre outros, são alimentos que provocam gases intestinais e, por isso, não devem ser consumidos todos de uma única vez. “Se eles te dão gases, é bem possível que o bebê também os tenha após mamar”, alerta Marcelo. Por isso, é importante que você fique atenta às reações que seu filho terá após você consumir esse tipo de alimento. Se perceber que ele apresenta muitas cólicas, talvez seja necessário evitá-los no período de amamentação.

Gostou do artigo? Fique de olho no blog do Melpoejo!