Novidades do Blog

Você está em Home Blog
13 abr

Quanto tempo dura uma crise de cólica no bebê?

As cólicas podem causar muita dor ao bebê e incômodo a todos os familiares, mas quanto tempo dura uma crise de cólica no bebê? Descubra em nosso artigo!

O bebê está em casa e de repente começa um choro forte e estridente, geralmente são as conhecidas cólicas infantis. Mas quanto tempo dura uma crise de cólica no bebê?

A princípio, o bebê está em uma fase de adaptação e novas informações podem gerar estresse, que muitas vezes é expresso pelo choro.

Mas quando o choro se torna constante, durante longos períodos e mais alto do que o costume, pode indicar que ele está sentindo dor na barriga.

A cólica em recém-nascido é comum até o terceiro mês, pois o seu sistema digestivo ainda está em desenvolvimento.

As crises normalmente acontecem no fim do dia ou durante a noite e, além do choro, acabam atrapalhando o sono.

Assim, o pequenino não consegue descansar e pode ficar ainda mais irritado.

A fim de aliviar as preocupações sobre a cólica em recém-nascido, vamos te ajudar a identificar quando o bebê está com incômodo, quanto tempo dura a crise de cólica no bebê, como aliviar esse mal e dicas de prevenção.

Como identificar quando o bebê está com cólica?

A cólica incomoda muito os bebês e causa um choro intenso.

Por isso muitas famílias têm dúvidas sobre como saber se o bebê está com cólica.

A princípio, o choro intenso é a principal forma de identificar o desconforto da cólica em recém-nascido.

O choro por diferentes motivos nos primeiros meses de vida é comum, porém o da cólica é ininterrupto.

Por exemplo, algumas vezes o recém nascido chora por querer carinho e ficar perto da mãe.

Ou seja, quando ganha colo, o choro termina. No caso da cólica, essa pausa não acontece.

Além disso, fique atento aos demais sinais:

  • Rosto avermelhado e com expressão de dor;
  • Flexão das pernas e braços em direção ao abdômen;
  • Punhos cerrados;
  • Gases e barriga rígida.

Quanto tempo dura uma crise de cólica no bebê?

A crise de cólica do bebê dura em média 3 horas em pelo menos 3 dias por semana, por 3 semanas ou mais.

O surgimento da cólica costuma ser em torno de duas a três semanas após o parto.

Já no caso dos bebês prematuros, contamos como duas a três semanas depois do dia previsto para o nascimento.

Geralmente a cólica em recém nascido e bebês desaparece por volta de 1 a 3 meses.

Mas não é uma regra, em alguns pequenos as crises de cólica podem durar até os 4 meses, sendo que alguns nem sofrem dessas crises.

Como aliviar a dor no recém-nascido com cólica?

Até agora falamos sobre como identificar o incômodo e quanto tempo dura as crises de cólica no bebê.

Em seguida vamos falar de algumas ações que podem ser feitas para aliviar a dor do recém-nascido.

Faça massagem na barriga

Uma forma de aliviar a dor é acariciando a barriga do bebê com movimentos circulares.

Com as mãos em forma de concha, exerça uma leve pressão e deslize pela barriga da criança, partindo da base das costelas.

Além disso, um pequeno exercício pode auxiliar no alívio da cólica também.

Como se ele estivesse pedalando, dobre lentamente os joelhos de forma que as coxinhas dele pressionem de leve a barriga.

Dê um banho morno

Em um ambiente silencioso, prepare a banheira do seu filho com água entre 35°C e 37°C.

A água na temperatura do corpo proporciona uma sensação de aconchego, similar à que ele experimentava no útero.

Faça uma compressa

Com uma bolsa térmica de água morna ou uma fraldinha aquecida com ferro, faça uma compressa na região do abdômen.

Visto que o calor favorece a vasodilatação, facilita o fluxo sanguíneo e relaxa a musculatura, diminuindo o desconforto abdominal.

No entanto, não se esqueça de testar a temperatura antes para não correr o risco de queimar a pele do seu pequeno.

Deite o bebê de bruços

Quando deitado de bruços, o bebê consegue expelir mais facilmente os gases que o incomodam e agravam a cólica.

Por isso, tente deitar a criança de bruços no peito do papai ou da mamãe.

O contato pele com pele acalenta, enquanto o cheiro e a voz da mãe ou do pai transmitem segurança e paz.

Assim, você aquece o abdômen do pequeno e oferece mais conforto com o seu toque.

Ofereça o peito

O estímulo oral que ocorre quando o bebê se alimenta de leite materno é satisfatório para o pequeno e ajuda a acalmar a cólica em recém-nascido.

Mas é preciso ficar atento a quantidade de ar que o neném engole a cada mamada, pois ela pode agravar o quadro.

Por isso, é necessário fazê-lo arrotar para eliminar o ar engolido durante a amamentação.

Além disso, para os pequeninos que não mamam, existem mamadeiras anti-cólicas que ajudam a amenizar o desconforto.

Dicas para evitar a cólica no bebê

Como a cólica nos pequeninos gera um desconforto intenso e muitas vezes sem explicação aparente, os responsáveis ficam confusos e nervosos na tentativa de aliviar a dor.

A partir disso, pais e familiares começam a buscar informações de como evitar as cólicas nos recém-nascidos.

Alguns pontos citados abaixo podem auxiliar na prevenção. E, também, evitar que o incômodo atrapalhe a sua rotina e o bem-estar do bebê:

  • A alimentação do bebê é um ponto chave a se observar. Sempre que perceber que ele está com fome, alimente-o e force o arroto após cada mamada;
  • O desconforto na região da barriga pode ser ocasionado pela sucção do ar do bebê. Procure sempre se sentar em uma posição ereta ao amamentar e manter sempre o bico da mamadeira repleto de leite;
  • Com muito cuidado, você pode também colocar uma bolsa de água quente na barriguinha da criança. Envolva com toalhas para que ele sinta o alívio proporcionado pelo calor.

Agora que você sabe quanto tempo dura uma crise de cólica no bebê, quando é necessário procurar ajuda médica?

Se após seguir os passos a cima o choro ainda persistir, talvez seja a hora de procurar a ajuda de um médico.

O pediatra poderá confirmar se é a cólica ou se existe outra causa para o choro do bebê.

Além disso, eles poderão indicar remédios e exames que possam avaliar a real origem de dor do pequeno.

De qualquer forma, é importante buscar ajuda profissional quando:

  • O choro é persistente, alto e nada parece acalmar o recém-nascido;
  • Vômitos constantes, perda de peso e mudança na rotina, como o pequeno mamar ou urinar menos que o normal;
  • O bebê apresenta diarreia e/ou sangue nas fezes;
  • Mudanças como o bebê mamando ou urinando menos que o normal.

Vale ressaltar que não é recomendado o uso de qualquer medicamento sem expressa orientação de um profissional médico.

Por isso, converse com seu médico a respeito do Funchicórea.

O medicamento é um fitoterápico, ou seja, obtido a partir de derivados vegetais e é usado no tratamento da cólica e prisão de ventre.

Por fim, compartilhe esse artigo com papais e mamães que você conhece e fique atento aos próximos artigos do blog do Melpoejo!