Novidades do Blog

Você está em Home Blog
22 out

Como levar remédios em viagem internacional?

Você conhece alguém que sempre viaja com uma farmácia completa dentro da bolsa? São os mais variados tipos de remédios para caso haja necessidade em algum momento. Mas em casos, como viagens para fora do país, é necessária atenção, pois alguns medicamentos têm seu uso restrito. Para facilitar esse momento de pura alegria e tranquilidade, vamos te explicar como levar remédios em viagem internacional.

Entretanto, muito mais que uma forma de prevenção, em algumas situações ter um medicamento na bagagem é uma constante necessidade.

Nestes casos, a preocupação sobre como levar remédios em viagem internacional é ainda maior, pois o corpo tem necessidade de determinada medicação.

Por exemplo, casos de pressão alta, diabetes, asma, entre outros.

Mas, fique atento! Se você tem necessidade do uso contínuo de medicamentos, não esqueça o receituário médico.

Desde que assinado por profissional habilitado, é o documento que atesta a necessidade do uso do medicamento para doenças crônicas.

Só que, cada país estabelece requisitos próprios para a entrada de determinados fármacos e, assim, pode envolver questões diplomáticas.

Por isso, antes de viajar, é relevante se atentar às regras de fiscalização do país de destino, pois a entrada de medicamentos em outros países pode sofrer fiscalização sanitária.

Já no Brasil, os remédios de uso próprio não precisam de autorização, recomenda-se apenas a prescrição médica para comprovar o uso pessoal.

Enquanto para realizar a importação de medicamentos à base de substâncias suspeitas, a apresentação da receita médica e do documento fiscal dos produtos adquiridos no mercado externo é obrigatória.

Como levar remédios em viagem internacional?

Inicialmente, como uma forma de garantir que não haverá problemas durante a viagem, a ANVISA recomenda que os passageiros busquem informações diretamente com a embaixada ou consulado do país de destino.

Assim, o viajante será capaz de saber se medicamentos de um tipo são proibidos ou se a quantidade do medicamento ou da substância que o compõe são limitadas.

Além disso, saber como levar remédios no avião auxilia para que os passageiros não sejam barrados no aeroporto.

Todos os medicamentos estão passíveis de inspeção sanitária.

Mas, ao mesmo tempo, como ter a garantia de que você conseguirá se curar durante a viagem caso passe mal?

Para isso, você pode montar uma “pequena farmácia” com medicamentos básicos e/ou essenciais para levar com você.

Você poderá prepará-la com os principais medicamentos que você tem em casa e de uso constante, mas seguindo algumas regras sobre como levar remédios em viagem internacional.

Dessa maneira, monte sua farmácia particular com:

  • Algodão;
  • Analgésicos;
  • Antitérmico;
  • Curativos adesivos;
  • Esparadrapo;
  • Remédio para enjoo;
  • Remédio para gripe;
  • Remédio para dor de garganta;
  • Remédio para digestão;
  • Remédio para cólicas;
  • Remédio para diarreia;
  • Termômetro.

Regras essenciais de como levar remédios em viagem internacional

Nesse ínterim, a regra que vale para a saída dos medicamentos do Brasil é a seguinte: remédios básicos não precisam de receita, mas remédios controlados – tarjas vermelha ou preta – precisam sim estar acompanhados de receita médica onde conste o nome do passageiro e o carimbo do médico.

Além disso, a Anac  – Agência Nacional de Aviação – orienta a todos os passageiros a mostrarem todos os remédios de uso controlado aos fiscais no momento da passagem pelo raio-x.

Do mesmo modo, recomenda que os medicamentos sejam mantidos em suas embalagens originais e fechadas, salvo o medicamento que será necessário durante o voo.

A fim de evitar maiores problemas, peça ao seu médico que redija uma versão da receita em inglês, para todos os medicamentos que forem carregados em maior quantidade.

Ademais, peça ao seu médico para explicar que você ficará fora por um período “tal” de tempo.

Portanto, precisará de determinada quantidade de medicação.

E, claro, a receita deve conter o nome do passageiro, conforme está no passaporte, e carimbo do profissional que receitou.

Sendo essa, a melhor opção de como levar remédios em avião com tranquilidade.

Como levar remédios em viagem: insulina, medicamentos injetáveis ou cilindro de oxigênio?

Os viajantes que fazem uso de insulina ou medicamentos injetáveis devem levar apenas a dose necessária para uso durante a viagem.

Da mesma forma que os remédios controlados, esse tipo de medicamento deve estar acompanhado com prescrição médica e com a indicação da quantidade que será necessária.

Aliás, as agulhas que serão utilizadas para a aplicação devem estar guardadas em embalagens lacradas e precisam ser apresentadas aos fiscais de segurança do embarque.

Enquanto, no caso da necessidade de transportar um cilindro de oxigênio, é necessário avisar a companhia aérea com até 72 horas de antecedência antes do voo para receber uma maior assistência.

Por isso, o passageiro deve apresentar também laudos médicos que comprovem a necessidade do cilindro na viagem.

Além de utilizar o formulário de informações médicas (MEDIF), fornecido pela companhia aérea.

Da mesma forma, o formulário deve ser utilizado em casos que os medicamentos precisam ser mantidos refrigerados.

Pois, assim que avisada, a empresa irá providenciar espaço em um compartimento refrigerado para transporte dentro do avião.

Como levar remédios em viagens: na mala despachada ou de mão?

Inicialmente, não recomendamos que os medicamentos sejam transportados na mala despachada.

Apesar de os passageiros não encontrarem nenhum tipo de restrição quanto aos medicamentos transportados na bagagem despachada, essa forma pode trazer diversos problemas se tratando de como levar remédios em viagens internacionais.

Pois, assim, você corre o risco de extravio ou dano da bagagem, podendo ficar sem um medicamento importante por dias.

Por isso, priorize levar seus medicamentos na bagagem de mão.

Mas fique atento ao limite de 100 ml por frascos de líquidos levados na bagagem de mão e o total de carregamentos, na bagagem de mão, sem exceder um litro.

Cuidados extras para uma boa viagem

Como já dissemos pelo artigo, além de como levar remédios em viagem internacional, devemos nos atentar a alguns detalhes:

  • Consulte um profissional de saúde para orientações e informações;
  • Não se esqueça de pedir ao médico uma versão inglês da receita;
  • Peça também uma declaração explicando a real necessidade do remédio pelo tempo que ficará fora;
  • A bula e rotulagem do produto são de extrema importância para a segurança do tratamento;
  • Para medicamentos de uso diário, leve uma quantidade extra para o caso a  viagem precise ser adiada;
  • A dipirona sódica é um medicamento que não necessita de receita no Brasil mas é proibida em alguns países.
    Por isso, se você for levar algum medicamento que contenha esse componente, peça receita ao seu médico.

Curtiu saber como levar remédios em viagem internacional? Então compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e continue de olho no blog do Melpoejo!