Novidades do Blog

Você está em Melpoejo Blog
15 set

Todo bebê tem cólica? Mito ou verdade?

O incômodo que é tão comum nos recém-nascidos é uma regra geral? Todo bebê tem cólica? Confira neste texto!

Primeiramente, a maioria das mamães sabe que as cólicas são um quadro comum nos pequenos, mas a partir disso surge a dúvida: todo bebê tem cólica?

Apesar de o quadro ser comum  nos recém-nascidos, essa afirmativa que toda criança sofre, ou sofrerá, com os incômodos abdominais é errônea.

O sistema digestivo dos pequenos ainda está em formação e após alimentar-se, o surgimento dos gases levam as temidas cólicas.

Apesar disso, cada indivíduo é singular e alguns recém-nascidos podem passar pelos primeiros meses de vida sem sofrer com dores abdominais.

Em pesquisa recente com mil mães, duas em cada três afirmaram que a cólica tem alto impacto na rotina familiar.

Por isso, recomendamos tomar cuidado antes de realizar alguma medida para amenizar uma possível cólica.

Antes de tudo é necessário averiguar os sintomas e, caso haja dúvidas, procurar ajuda de um pediatra.

A fim de te ajudar, elencamos neste artigo as principais informações sobre o quadro de cólicas em recém-nascidos. Confira com a gente!

Por que o recém-nascido tem cólica?

As cólicas são atribuídas à associação de alguns fatores, entre eles a imaturidade dos sistemas gastrintestinal e nervoso central, que, entre outras funções, controla as contrações do intestino.

Como o processo de formação e funcionamento desses mecanismos ainda não está completo, ocorrem movimentos intestinais descoordenados que acabam provocando as dores.

Passados três meses, esses sistemas adquirem maturidade e as cólicas deixam de fazer parte da rotina da família.

Como identificar a cólica em recém-nascido?

A princípio, por eliminação. Por exemplo: o bebê está com fome? A fralda está molhada? Está com calor? Com frio?

Se essas possibilidades foram descartadas e o choro intenso continua, é grande a probabilidade de ser cólica em recém-nascido.

Além disso, fique atento a outros sinais de desconforto abdominal como:

  • Rosto avermelhado e com expressão de dor;
  • Flexão das pernas e braços em direção ao abdômen;
  • Punhos cerrados;
  • Gases e barriga rígida.

Todo bebê tem cólica? Mito!

Conforme adiantamos na introdução do texto, dizer que todo bebê tem cólica é uma afirmativa equivocada, um mito.

Nem todas as crianças sofrem com as dores durante os primeiros meses de vida.

Enquanto alguns pais relatam aos pediatras que os filhos nunca tiveram o mal-estar, outros sofrem frequentemente com o choro dos pequenos que são afetados pelo problema.

Cada indivíduo é único no que diz respeito a fatores genéticos e biológicos, o que explica parte da questão.

A outra parte diz respeito ao ambiente. Excesso de estímulos como som e TV, brincadeiras prolongadas, também pode desencadear ou turbinar as cólicas.

Cólica em recém-nascido: quando precisa de ajuda médica?

É importante buscar ajuda profissional quando:

  • O choro é persistente, alto e nada parece acalmar o recém-nascido;
  • Vômitos constantes, perda de peso e mudança na rotina, como o pequeno mamar ou urinar menos que o normal;
  • O bebê apresenta diarreia e/ou sangue nas fezes;
  • Mudanças como o bebê mamando ou urinando menos que o normal.

Assim, o pediatra poderá confirmar se é a cólica ou se existe outra causa para o choro do bebê.

Além disso, eles poderão indicar remédios e exames que possam avaliar a real origem de dor do pequeno.

Vale ressaltar que não é recomendado o uso de qualquer medicamento sem expressa orientação de um profissional médico.

Por isso, converse com seu médico a respeito do Funchicórea.

O medicamento é um fitoterápico, ou seja, obtido a partir de derivados vegetais e é usado no tratamento da cólica e prisão de ventre.

Por fim, o que você acha de compartilhar esse texto com outras mamães e acabar de vez com esse mito que rodeia os nossos bebês?

Compartilhe em suas redes sociais e fique atento aos próximos artigos do blog do Melpoejo!