Novidades do Blog

Você está em Melpoejo Blog
29 jun

Refluxo em bebê: tire suas dúvidas!

O refluxo em bebê é extremamente normal, uma vez que o aparelho digestório dos pequenos ainda é muito imaturo. Confira nesse artigo tudo o que você precisa saber!

Nos primeiros meses de vida, é comum o refluxo em bebê, pois seu sistema digestivo não está completamente formado. Mas uma mamãe de primeira viagem pode não conseguir identificar imediatamente os sintomas de um quadro mais grave do refluxo em recém-nascido.

A princípio, os papais e mamães podem sofrer com muitas incertezas em relação aos bebês.

O refluxo em bebês é uma situação que deve ser levada com tranquilidade, pois a experiência de todos os pais e avós nos diz que o “golfo” causado pelos pequenos após uma mamada é extremamente normal.

Além de normal, é necessário fazer com que o bebê arrote logo após uma mamada para evitar gases e as temidas cólicas.

Mas quando o refluxo acontece várias vezes ao dia e muito tempo após a alimentação do bebê, é importante ficar atento a possíveis quadros patológicos e procurar a ajuda de um pediatra.

Dessa forma, você garante a saúde da criança e o bem-estar de toda a família.

A fim de auxiliar os responsáveis, preparamos esse texto com as principais informações sobre refluxo em bebê e quais sintomas merecem atenção dos responsáveis. Continue acompanhando com a gente!

O que é o refluxo?

O refluxo é identificado pelo retorno do conteúdo do estômago para o esôfago e outras áreas como a boca, por exemplo. 

Ele pode acontecer devido à imaturidade do sistema digestivo dos pequenos ou quando o bebê tem alguma dificuldade de digestão, que pode estar relacionada com intolerância ou alergia ao leite ou de outro alimento.

A princípio, o refluxo em bebê recém-nascido não deve ser considerado preocupante quando a quantidade é pequena e acontece apenas após a mamada.

Mas se o refluxo acontece várias vezes ao dia, em grande quantidade e muito tempo após a amamentação, deve ser avaliado pelo pediatra.

Sintomas

Em geral, o refluxo em bebê manifesta-se através das golfadas após as mamadas e não causa maiores problemas à criança.

No entanto, se o refluxo for exagerado e tiver relacionado a um quadro patológico, pode vir acompanhado dos seguintes sintomas:

  • Irritabilidade;
  • Golfadas em excesso;
  • Sono agitado;
  • Dificuldade ou recusa para mamar;
  • Tosse seca;
  • Engasgo;
  • Choro frequente.

Assim, caso perceba esses sintomas no bebê, não hesite em procurar um pediatra ou gastroenterologista pediátrico para realizar o diagnóstico e receber orientações sobre o tratamento.

Refluxo em bebê – Como prevenir?

Alguns cuidados na rotina da mamãe e do bebê podem prevenir de forma efetiva o refluxo em bebês, são eles:

  • Evite balançar o bebê, principalmente durante a amamentação;
  • Não vista roupas que apertem a sua barriguinha
  • Durante as mamadas, deixe as narinas do bebê livres;
  • Oferecer leite materno pelo maior tempo possível;
  • Evitar dar grandes quantidade de leite de uma só vez. Se possível, o ideal é aumentar a frequência das mamadas ao longo do dia;
  • Para os pequenos que já se alimentam na mamadeira, ela deve ser dada sempre elevada, com o bico preenchido totalmente pelo leite.

Normalmente, o refluxo em bebê desaparece naturalmente a partir dos seis meses de idade

No entanto, caso isso não aconteça, a orientação do pediatra será essencial para o desenvolvimento correto do bebê.

Refluxo em bebê – Possíveis complicações

Apesar de geralmente não ser causa de grande preocupação, quando uma patologia relacionada ao refluxo nos pequenos não é tratada, pode haver complicações.

Por exemplo, a dor e desconforto do ácido gástrico em contato com a mucosa pode desenvolver uma esofagite nos bebês.

A pneumonia por aspiração também é uma das complicações que podem ser ocasionadas pelo refluxo. Ela ocorre quando o bebê “devolve” o leite e ele entra pela traqueia até o pulmão.

Por isso, lembre-se de procurar ajuda médica profissional para proteger o crescimento saudável do seu bebê.

 

Além disso, vale reforçarmos que não é recomendado o uso de qualquer medicamento sem expressa orientação de um profissional médico.

Por fim, mesmo que o refluxo em bebê cause apreensão em toda a família, é uma fase da vida dos pequenos. Em alguns meses, os momentos de “golfada” serão apenas boas lembranças (ou não).

blog melpoejo