Novidades do Blog

Você está em Melpoejo Blog
20 dez

A importância do aleitamento materno para a saúde do bebê e da mamãe

Durante todo o mês de agosto, a campanha Agosto Dourado busca incentivar ações de promoção e conscientização sobre a importância do aleitamento materno.

O aleitamento fortalece o sistema imunológico do bebê, reforçando-o contra diversos tipos de infecções.

Além disso, é também o seu principal alimento, fazendo que ganhe peso e cresça sadio.

Além de diversos benefícios do leite materno para a criança, é a partir desse gesto que a relação maternal começará a se desenvolver.

Toda mulher deve amamentar o recém-nascido com leite materno, salvo alguma contra indicação do pediatra. O leite deve ser ingerido unicamente até o sexto mês de vida.

De acordo com a OMS, somente 38,6% dos bebês brasileiros se alimentam só com o leite da mãe nos primeiros 5 meses de vida.

A partir deste período, o médico que realiza o acompanhamento irá orientar quais novos alimentos podem ser introduzidos na alimentação.

Vale ressaltar que a amamentação é extremamente prática.

Já que o próprio corpo da mulher produz o leite na temperatura correta para o bebê.

Além disso, ele é muito importante para a saúde do recém-nascido, porque nele existem inúmeros anticorpos que a mãe passa ao seu filho, protegendo-o contra diversas doenças.

Se você está com um pequenino a caminho acompanhe o texto com a gente! Vamos apresentar mais sobre a importância do aleitamento materno para a saúde da mamãe e do bebê.

A importância do aleitamento materno para a saúde do bebê

Desde que a mamãe recebe a notícia da gravidez, a saúde do seu bebê torna-se a prioridade da sua rotina.

Não é à toa que elas busquem diversos cursos e um acompanhamento mais rotineiro com o médico para garantir o seu bem-estar e o de seu pequeno.

Nesse sentido, o leite materno é a melhor forma de proteção.

Ele é capaz de evitar infecções, alergias, doenças e até mesmo pequenos incômodos, como a cólica e o estresse.

A amamentação traz inúmeros benefícios para o bebê, como:

  • Fortalece a imunidade – previne doenças comuns nos primeiros meses de vida e, consequentemente, diminui a taxa de mortalidade entre recém-nascidos;
  • Diminui o risco de alergias – a força realizada para sugar o leite materno, auxilia no desenvolvimento dos pulmões dos bebês e, assim, fortalece o órgão contra o risco de alergias;
  • Previne cólicas – o leite materno não fermenta tanto no intestino, por isso é digerido mais rapidamente e não causa tantos gases e cólicas;
  • Ajuda no desenvolvimento cognitivo – como o leite possui gorduras que auxiliam no desenvolvimento dos neurônios e do cérebro, ele facilita o processo de fala e raciocínio;
  • Tranquiliza o bebê – o contato com a mãe faz com que o pequenino se sinta mais seguro e calmo, evitando o choro e a ansiedade.

Os pequenos que amamentam adoecem menos e necessitam de menos atendimentos hospitalares. Em consequência, diminuem as faltas dos responsáveis aos seus compromissos e mantém todos a sua volta mais tranquilos.

Logo, a amamentação pode beneficiar não somente as crianças, mas também sua família e todo ambiente social que a cerca.

Com qual frequência alimentar o recém-nascido?

O bebê deve ser alimentado sempre que desejar. Como o leite materno é rapidamente digerido, o pequenino sentirá muita fome.

Como já comentamos sobre como identificar o choro do seu bebê, ele manda sinais de que está com fome, chupando o dedo e abrindo e fechando as mãos. O choro é prolongado e vem acompanhado de mão na boca.

Cabe a mamãe permitir que a criança mame até sentir o peito “esvaziar” e, apenas depois, oferecer o outro seio.

É sempre válido ressaltar que o bebê deve ser colocado para arrotar logo após se alimentar. Caso ele fique deitado, coloque-o de lado para que, caso vomite, não corra o risco de engasgar e sufocar.

A importância do aleitamento materno para a saúde da mamãe

Como já dissemos, o bebê e a mamãe recebem diversos benefícios da amamentação.

Logo, é enorme a importância do aleitamento materno para ambos.

Por isso, logo após o nascimento, ainda na sala de parto, alguns médicos já estimulam a amamentação.

A amamentação traz inúmeros benefícios também para a mãe, como:

  • Previne a hemorragia e auxilia na recuperação – a sucção do bebê auxilia na contração uterina e, com isso, também combate a anemia materna;
  • O ato de amamentar reduz a depressão pós-parto;
  • O leite materno é prático – não é necessário se preocupar, pois o leite já tem a temperatura ideal para consumo;
  • Controle de natalidade – a amamentação nos primeiros meses tem uma alta proteção do recém-nascido;
  • Tem um efeito protetor contra o câncer de mama, endométrio e de ovário;
  • Reduz o risco de a mulher desenvolver diabetes tipo ll após a gravidez.

A amamentação é um momento importante para a recuperação e redução de doenças pós-partos nas mamães.

Dessa forma, a relação entre as mães e os bebês é nutrida por um processo natural que protege e auxilia o desenvolvimento saudável dos dois.

Cuidados com o corpo da mulher

Principalmente para as mães de primeira viagem, é comum dores nas mamas, devido as fissuras nos seios. Se o bebê sugar somente o mamilo (bico do seio), a mama acabará machucada.

Por isso, observe o jeito que o bebê pega a mama, pois é um ponto que precisa ser corrigido.

Uma das formas para prevenir e recuperar as fissuras é passar o próprio leite na mama.

Além disso, as reclamações de dores nas costas, no pescoço e nos ombros também são comuns entre quem tem um pequeno recém-chegado em casa.

Por isso, ao amamentar, a mulher deve procurar ambientes tranquilos que ela possa ficar em uma posição confortável.

De preferência com a coluna alinhada e os pés apoiados no chão.

Também podem ser utilizados travesseiros e almofadas para ajudar no apoio do bebê. Ou seja, evitando que a mamãe fique curvada e fazendo força para segurá-lo.

Outra forma de amenizar as dores é a prática de exercícios.

A mãe deve procurar seu médico e pedir que ele indique algumas atividades que atuem diretamente na região da dor e que não causarão complicações no pós-parto.

Por fim, podemos dizer que a maior importância do aleitamento materno é criar um vínculo de saúde e amor com o seu eterno bebê.

Amamente seu filho e acompanhe as indicações do pediatra!

Que tal ajudar outras mamães e papais com o nosso texto?

Compartilhe em suas redes sociais e fiquei atento às nossas novidades